how is valium different from ativan buy valium online gabapentin and valium together

is tramadol controlled substance in what states tramadol 50 mg amitriptyline and tramadol drug interactions

latest study on ambien ambien price news anchor ambien

xanax withdrawal muscle pain buy xanax designer xanax

3000 mg tramadol tramadol 50 mg talwin nx and tramadol

does methadone interact with xanax xanax without prescription what kind of doctor do i see for xanax

is it safe to take valium and clonazepam together diazepam 5mg mixing valium and alcohol effects

tramadol in combinatie met wiet buy tramadol online how many tramadol to take at once

breakers divers soma bay buy soma jennifer soma des moines

is valium a dangerous drug buy valium online classe pharmaceutique valium

24/4: Mulheres de todo o Brasil estarão nas ruas denunciando a Reforma da Previdência

24/4: Mulheres de todo o Brasil estarão nas ruas denunciando a Reforma da Previdência

No dia 24 de abril de 2017, as mulheres da Marcha Mundial se organizam em todo o mundo para ações contra a ofensiva do capitalismo sobre nossos trabalhos e vidas. No Brasil, todos os comitês da Marcha Mundial das Mulheres farão deste mais um dia de lutas contra a Reforma da Previdência e a Reforma Trabalhista de Temer. As mulheres irão se encontrar em praças, terminais e outros pontos estratégicos de todos os municípios, rurais e urbanos, onde a MMM está presente para fazer panfletagens e feiras de informação. Em São Paulo, a mobilização já está marcada das 11h às 15h na Praça do Patriarca, localizada no centro da cidade.

“Temos que fazer divulgação, muito debate, no dia 24 vamos para a rua mostrar nossa rejeição à Reforma da Previdência”, diz Nalu Faria, coordenadora da SOF e militante da MMM. A nível nacional, a data compõe a intensa agenda feminista contra o governo golpista de Michel Temer e seus retrocessos em direitos sociais. Na mesma semana, no 28 de abril, haverá o dia nacional de paralisação e mobilização, com deflagração de greves de diversas categorias e apoio de movimentos sociais, centrais sindicais, partidos e organizações que compõem a Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo.

Internacionalmente, o dia 24 posiciona a centralidade do trabalho no feminismo e relembra as cerca de mil trabalhadoras têxteis que perderam suas vidas em Bangladesh em 2013, quando ruiu o Edifício Rana Plaza, onde eram produzidas, com mão de obra feminina e precarizada, as roupas vendidas por grandes empresas transnacionais. “Nós, mulheres da MMM, reafirmamos o 24 de Abril como uma data de resistência e luta contra o poder e impunidade das TLCs e contra todas as formas de exploração capitalista neoliberal. Convidamos nossas militantes e aliados a se unirem nessa reflexão-ação sobre o seu contexto específico, incorporando suas lutas locais nesta discussão mais ampla”, diz a convocatória internacional, que pode ser lida através deste link.

Close